A borda da geleira que recua

Morada

Casamento não é
uma casa, sequer uma tenda

é anterior a isso, e mais frio:

a borda da floresta, a borda
do deserto
as escadas sem pintura
na parte de trás onde nos agachamos
do lado de fora, comendo pipoca

a borda da geleira que recua

onde doloridos e surpresos
por termos sobrevivido
até aqui

aprendemos a fazer fogo

(Margaret Atwood, tradução minha)


Poema original

Habitation

Marriage is not
a house or even a tent

it is before that, and colder:

the edge of the forest, the edge
of the desert
the unpainted stairs
at the back where we squat
outside, eating popcorn

the edge of the receding glacier

where painfully and with wonder
at having survived even
this far

we are learning to make fire

(Margaret Atwood, Selected Poems 1965–­1975)

Anúncios